Acidentes e fluxo de veículos motivam alteração no tráfego da BR-163 em Sorriso

Acidentes e fluxo de veículos motivam alteração no tráfego da BR-163 em Sorriso

Diante do aumento no tráfego de veículos e número de acidentes na travessia urbana de Sorriso, principalmente entre o km 750 e o km 754 da BR-163, a Rota do Oeste realiza, desde 30 de abril, alterações no fluxo de veículos nas vias marginais com o objetivo de disciplinar o fluxo viário e ampliar a segurança de quem percorre a região. Levantamento da Concessionária demonstra que entre 2016 e 2018 houve um crescimento de 37 para 59 ocorrências no trecho.

Outro fator relevante para promoção da intervenção nas vias marginais foi o estudo encomendado por empresários de Sorriso à Systra, que demonstrou a intensidade do fluxo de veículos na região do km 750. A contagem de tráfego apontou a passagem de mais de 8,9 mil veículos entre motocicletas, automóveis, ônibus e caminhões pelo trecho somente no período das 08h às 20h. Além disso, a Concessionária recebeu a recomendação da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), durante os procedimentos de fiscalização em campo, para que o fluxo de veículos fosse readequado na travessia urbana de Sorriso.

Na avaliação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a readequação do tráfego em Sorriso era fundamental para diminuir a quantidade de acidentes que passou a ser registrada na região com a duplicação da MT-242. Com a ampliação da rodovia estadual, parte do tráfego da cidade passou a ter acesso direto à BR-163, que conta com um fluxo de veículos pesados.

“Houve um aumento intenso no número de veículos, principalmente de motocicletas, que acessavam as vias marginais e a BR-163, gerando um conflito no tráfego de veículos leves e pesados, e, consequentemente, acidentes. A engenharia local não favorecia a mobilidade e muitas vezes o tráfego ficava completamente trancado. Do ponto de vista do Poder Público, a intervenção vai resolver o problema, uma vez que vai redirecionar o tráfego local para via marginal, separando esse grupo do tráfego pesado do eixo principal da rodovia”, explica o chefe da 6ª Delegacia da SRPRF-MT, o Inspetor Leonardo Ramos.

O gerente de Engenharia da Rota do Oeste, Vitor Lima, explica que todo o trabalho da Concessionária é embasado em manuais técnicos e estudos, considerando sempre o aumento da segurança viária e a redução dos acidentes. “Existiu todo um movimento que culminou na elaboração de um projeto para reordenamento do tráfego em Sorriso, dentro dos moldes desenvolvidos para regiões que estão em amplo desenvolvimento, como é a realidade deste município”.*

Sobre a medida que tornou as vias marginais em mão única, a Concessionária destaca que seguiu a recomendação do Manual de Projetos Geométricos de Travessias Urbanas do Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT). 

*Com relação a adaptação dos usuários com a nova realidade, o Inspetor Ramos destaca que toda alteração no tráfego gera uma insatisfação inicial por alterar o hábito local. Porém, frisa que a intervenção era necessária para ampliar a fluidez do tráfego e, principalmente, para preservar vidas. “Não podemos abrir mão da segurança de todos para preservar um costume local. Sorriso é uma cidade que cresce muito e os moradores precisam se acostumar com essa nova realidade”.

Mudanças – Desde 30 de abril, o tráfego na via marginal norte (avenida Idemar Riedi), entre a rodoviária e a rua Iraí, é permitido somente no sentido norte (sentido Sinop). Os veículos que trafegam pela MT-242 deixarão de ter acesso direto à BR-163. Nesta região, a Rota do Oeste realizou toda a sinalização horizontal e vertical para orientar aos usuários sobre as mudanças. Ainda como forma de garantir a fluidez, a Concessionária construiu dois pontos (agulhas) de entrada e saída das vias.  Os acessos estão localizados nos km 750 e km 751.

Na via marginal sul (Perimetral Sudeste), toda a extensão passou a funcionar em mão única até a região do Del Moro (sentido Lucas do Rio Verde). Antes, somente o trecho até o viaduto da Agroverde tinha fluxo em sentido único.

Também ocorreu alteração no tráfego dos dois viadutos, que passaram a funcionar em mão única. O viaduto da avenida Brasil (via marginal norte – sentido Sinop) garante o acesso do setor industrial para o Centro e o viaduto da Perimetral Sudoeste (via marginal sul – Sentido Lucas do Rio Verde) ficou em mão única, permitindo o acesso do centro para o setor industrial.

Além dos viadutos, os motoristas que tem como opção de retorno, os contornos em nível existentes no eixo principal da BR-163. Para ter acesso a esses pontos, os usuários podem acessar a rodovia federal pelas agulhas existentes no km 750 e km 751, entrar no contorno em nível e chegar até a Perimetral Sudeste.